TERRA 

Eduardo Baqueiro

 

És muito mais que um amontoado de lama e pedras

Muito mais que uma pequena nave a vagar pelo espaço

Tua beleza é incomparavelmente infinita

Às vezes é um céu, mas também se torna inferno

Sois a fornalha a moldar almas imperfeitas

A operária divina trabalhando nossas imperfeições

Do leite materno até o ópio que nos envenena

Das lindas praias aos desertos secos e assassinos

Não há nada que não venha de teu seio

És a mãe perfeita ensinando o beabá da vida

Óh homem tolo! 

Quem pensas que és para roubar o titulo de rei

Se teus pés estão apoiados ao chão?

Se o alimento que te dá vida é tirado da terra?

Ó homem mesquinho!

Quem pensas ser para tomar a terra para ti

Se a morte inevitável virá te buscar?

Com exceção de tua consciência nada te pertence!

Ajoelha-te e olha para baixo primeiro

Agradeça a tua mãe terra o alimento, a água

e a oportunidade de estar  aprendendo...

Respeite tua terra, que é terra de teus filhos

de teus irmãos e de teus inimigos

Somente assim terás a oportunidade de retornar

E aprender que não és ninguém

sem o alimento, sem o calor que dela vem

Tua história está registrada dentro desta terra

Teus amigos, tuas paixões, tuas imperfeições...

Tudo que possuis vem dela!

Não és nada mais que barro e lama

a caminho da própria redenção.

Agradeça ao criador a oportunidade de pisar o chão

desta terra abençoada, poder caminhar sobre

seus vales verdes e tomar a água de suas fontes fecundas...

Que um dia não haja fronteiras, nem guerras, nem limites

para que "nossa casa" possa ser chamada de  "apenas" Terra,

Nossa Terra...