Sinais
Eduardo Baqueiro
 
 
Meu corpo é um templo do amor...
Que te provoca arrepios no fundo da barriga
Teu tesão aflora ao meu primeiro toque.
Eu me faço de menina boba,
para ver tua reação.
Finjo carência,
esperando que teus braços me apertem,
para sentir sua menina, então.
Me finjo de frágil como uma pétala de rosa
Dengosa a ponto de deixá-lo louco por mim.
Sinta meu corpo, minhas curvas delicadas
Mas não tire minha roupa, ainda não é hora
Deslize suas mão em meus seios
Sinta meu coração acelerar.
Ouça meus gemidos implorando tua invasão
Quebre meus tabus, deixe-me esquecer da etiqueta.
Faça-me, agora, de gato e sapato.
Diga-me palavrões no ouvido, me chame como quiser
Neste momento não me ofenderei com adjetivos comuns
Sou simplesmente uma fêmea no auge de seus desejos.
Olhe nos meus olhos e sinta a energia que flui em mim,
Faça de mim seu capacho
Satisfaça meus desejos mais íntimos.
Faça-me sentir mulher e menina
Deixe-me nua de corpo e alma.
Deixe-me satisfazer todos meus desejos
Quero gozar por todos meus poros
Até ficar exausta e o dia raiar.
Até não te querer mais...