RETORNO AMARGO
Eduardo Baqueiro

 

Retornou ontem do planeta terra...

Trouxe consigo uma bagagem vazia.

Chegou cansado,

reclamando direitos que não conquistou...

Trouxe consigo as mazelas do mundo comum,

Perdeu seu tempo na procura de ilusões...

Nasceu numa família abastada

Teve  a melhor educação que o dinheiro pode comprar.

Do dinheiro que recebeu usou somente

em benefício próprio...

Chegou aqui como um mendigo

Não teve amizade, nem auxiliou o próximo,

Não tem ninguém que interceda por ele

Terá, então, que ficar na fila de espera,

Até que um dia uma alma bondosa o socorra.

Certamente blasfemará contra Deus,

Reclamará um lugar ao sol,

Esquecendo que a morte o despiu de toda máscara...

Agora não tem prata, nem ouro

O tempo o ensinará,

verá que não usou de seus recursos

para auxiliar aqueles que lhe bateram à porta...

Não terá nada aqui deste lado,

a não ser a própria consciência,

Muitas lágrimas lavarão a face

Até que um dia tenha uma oportunidade

para a própria recuperação

Então compreenderá que Deus

esteve sempre ao seu lado